Empresas fora do ambiente digital não farão sentido em 2021.

Empresas fora do ambiente digital não farão sentido em 2021.

Os canais digitais são os grandes aliados dos empresários e empreendedores neste ano marcado pela Covid-19. É o que mostra a pesquisa O Impacto da Pandemia de Coronavírus nos Pequenos Negócios, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), abrangendo um universo de 17,2 milhões de pequenos negócios em todo o Brasil.

Uma das constatações da sexta edição da pesquisa – realizada no período de 27 a 30 de julho deste ano – é que houve aumento na proporção de empresas que estão fazendo uso de ferramentas digitais para funcionar. WhatsApp for Business e aplicativos de gestão são as ferramentas digitais mais presentes nas empresas.

Além disso, é crescente o número de empresas que estão vendendo por canais digitais. Na quarta edição da pesquisa, realizada de 29 de maio a 2 de junho deste ano, 59% das empresas efetuavam vendas pela internet. Esse percentual subiu para 64% na quinta edição, que colheu dados no período de 25 a 30 de junho. E atingiu 66% na sexta edição da pesquisa, a última a ser divulgada.

Empresas em locais com maior risco de aglomeração têm tido mais dificuldade para funcionar. Locais externos e com menor risco de contágio do vírus para o cliente estão com faturamento menos impactado. Entre os empreendimentos menos afetados, destaca-se o setor de saúde. Indústria de base tecnológica e de saúde, respectivamente, são os que se destacaram na sexta edição da pesquisa como em situação de melhora progressiva.

QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA PARA AS MARCAS

“Antes da pandemia, 45% dos micros e pequenos empresários não usavam mídias sociais. Agora precisaram fazer isso com velocidade”, destacou o diretor superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit, no evento on line Como Startups Podem Atrair Investimentos e Captar Recursos , realizado em 29 de outubro deste ano.

A responsável pela estratégia de produtos e inovação no Google, Flavia Verginelli, destaca que a grande mudança hoje é determinada pelo consumidor, numa velocidade exponencial. “A nova geração é on line. Se as marcas não se digitalizarem, elas não vão mais servir.” Ela lembra que é muito fácil trocar de marcas hoje, quando há insatisfação por parte do consumidor. “Considerando que a pandemia trouxe mais clientes para a internet, quem não correr e não entender isso não tem como sobreviver”, destacou ela, durante o webinar Transformação Digital e Cultura de Empresas Digitais, realizado pelo Insper no último 24 de agosto.

Share post:

Leave A Comment

Your email is safe with us.

×